Mom makes skateboarding dreams come true for son with cerebral palsy

It can be difficult raising a child who has a disability. Any parent wants to give their kid every opportunity possible, allowing them to pursue their greatest dreams, but sometimes physical limitations stand in the way and make things far more difficult.

But one inspiring mother wasn’t going to let her son’s disability stand in the way of his dreams, helping him achieve an unlikely goal with the help of some kindhearted strangers.

Lau Patron is a mother from Curitiba, Brazil. She has a 7-year-old son named João, who she describes as being energetic, adrenaline-seeking and curious about the world.

He’s just like any typical 7-year-old, except that he has cerebral palsy, a condition he’s lived with since he suffered a stroke as a baby.

Like other people with the condition, João has difficulty walking and relies on walking devices and wheelchairs to get around.

Even so, João had a surprising passion for skateboarding. While it seemed unlikely that the boy would be able to ride, it was still his dream.

And despite the odds, mom wanted to do everything she could to make that dream a reality, tired of people with disabilities always being held back.

“For children who have cerebral palsy, or any other kind of disability, having desires and dreams is not allowed,” she wrote on Instagram in Portuguese. “The world is always telling us no.”

View this post on Instagram

força da natureza, te chamaram um dia. eu te disse que se não fosse por ti jamais entenderia o que força vital significa de verdade. as pessoas falam, impressionadas, da força dos teus olhos, do teu sorriso, do teu corpo. e foi uma das primeiras coisas que notei quando tu nasceu: a força das tuas mãos. tua existência gira em torno dessa palavra e da habilidade de ser forte. em tudo que tu faz – ah, se soubessem a força da tua ternura. essa semana levamos um susto. estava tudo bem, tu estava bem e de repente não mais. uma crise convulsiva feroz nos pegou bem desprevenidos e os efeitos foram tão fortes que tivemos medo de mais um machucado do teu cerebrito. deve ser interessante estudar o que acontece dentro da gente nos segundos de medo, filho. o tempo muda de ritmo, segundos viram minutos, que viram eternidades. tu brancobrancobranco, abatido, dando respostas sem sentido. parece uma outra dimensão esse lugar de quem teme. o pior. o medo foi acalmado por algumas horas de hospital, rostos familiares, acolhimento e constatação: está tudo bem. cerebrito se desorganizou mas não se machucou. dessa vez. nós já temos quatro anos sem internações graves, só umas visitinhas rápidas de prevenção. mas é louco o que sinto quando estamos no hospital. estranhamente em um lugar seguro. um outro tipo de casa. tu saiu de lá rindo, joão. já inteiro. conversando com todos, trocando dicas de música, distribuindo beijos e “tamo junto”. porque é assim que tu é. eu saí lamentando: até quando vou ter que passar por isso? horas depois, mais calma, pensei – que audácia a minha. o corpo que sofre não é o meu. quem segura a onda, quem sente a correnteza e nada, é tu. e te botei bem aconchegado no colchão da sala enquanto víamos um filme, bem enrolado nos meus braços com a tua coragem, a tua doçura, o teu bom humor. pele, luz, juba. bem aninhada a tua força toda no meu corpo que te recebe (e sempre vai receber), depois de mais uma tormenta – meu corpo que ainda dá conta de fazer caber o teu. descansa, sol. . . . (joão está ótimo. já foi pra escola hoje. o texto foi desabafo – compartillhado depois que o susto passou)

A post shared by avante ⚡ (@avanteleaozinho) on May 2, 2019 at 3:23pm PDT

Lau tried on her own different ways of getting João on a skateboard, using devices like bikes and walkers, but was unsuccessful.

But she got a some help when she reached out to an organization called SkateAnima. Founded by a physiotherapist and a psychologist who are both also skateboarders, the group believes in showing human potential by giving people with disabilities the chance to skate.

“They thought it was only fair that every child have the chance to love [skateboarding] too,” Lau wrote.

They had previously helped a young girl with cerebral palsy achieve her skating dreams.

A device was created by Ricardo Oliveira, a “skateboarder and atypical father,” that allows people with cerebral palsy to stand on a skateboard, suspended by bars and cables.

João used the device to live out his dream, with his mom pushing him. They didn’t just go up and down the sidewalk, however: they went all out, going down ramps at the skatepark.

While it no doubt tired Lau out by the end, João looks thrilled skating around, and it’s truly a beautiful moment:

View this post on Instagram

tá chovendo aqui em curitiba e vou me fazer de louca e postar esse #tbt atrasado de um outro dia chuvoso. meu filho tem 7 anos. é um menino cheio de vontades, desejos, sonhos. e um deles foi, por muito tempo, andar de skate. acontece que ele tem paralisia cerebral desde que sofreu um AVC, com 1 ano e 8 meses. e para as crianças que tem paralisia cerebral, ou qualquer outro tipo de deficiência, ter desejos e sonhos não é permitido. o mundo tá sempre nos dizendo que não. não devemos, não conseguimos, não vai dar certo, não tem adaptação. não pertencemos. por muito tempo tentei suprir esse sonho do joão com outros recursos, bike, andador, skate elétrico de dupla comigo – não recomendo para pessoas que, como eu, são capazes de tropeçar no próprio pé. nada adiantou. até que eu conheci o @skate_anima . um projeto tocado por dois caras incríveis @danielpaniagua_ e @stevan_pinto que não conseguiram ficar parados diante do sonho de uma outra jovem com paralisia cerebral. ela queria o mesmo que o joão: andar de skate. e esses caras ficaram inquietos pensando o quão absurdo essa estrutura que faz com que crianças e jovens não possam sonhar, não importa quem sejam. os dois, um fisioterapeuta e um psicólogo, amam skate, e acharam mais que justo que todas as crianças pudessem ter a chance de amar também: a liberdade, o vendo no rosto, a adrenalina. inventaram, construíram, acharam um jeito de fazer o impossível mais possível, e de lá pra cá realizaram os sonhos de muita gente, inclusive do joão. ontem o vídeo da primeira vez que o joão esteve com eles (vou colocar nos stories) foi parar em uma plataforma importante internacional de skate, e assim a gente vai transformando o que é normal, o que pertence, quem pertence, e o que é possível. e a auto-estima de um carinha que tá todo orgulhoso por aqui. obrigada @skate_anima por tanto, sempre. vocês merecem o mundo. @berrics thank you for taking my lion for a ride. nesse #tbt o dia que andamos na chuva mesmo. vídeo: @skate_anima

A post shared by avante ⚡ (@avanteleaozinho) on Sep 20, 2019 at 9:51am PDT

The heartwarming video was shared by a skateboarding platform, and shared by Lau on her Instagram page, thanking SkateAnima and everyone who made the project happen for their help.

It’s been lighting up the internet, and serving as an inspiration to people with disabilities everywhere.

It’s a story that shows that people with disabilities are capable of doing the most unlikely things with a little help.

But Lau, who is a writer and activist, believes we need to continue fighting for more visibility and opportunities for disabled people, who are constantly being limited.

“Kids grow up suffocated by a world that pretends not to see them,” Lau wrote on Twitter, saying that it’s institutions that discriminate that are the problem, not disabled people. “Inclusion is not a favor.”

It’s a beautiful, heartwarming video, and a reminder of the need to create more inclusive spaces and opportunities for the disabled.

Share this inspiring story!

The post Mom makes skateboarding dreams come true for son with cerebral palsy appeared first on Newsner English.